Para agilizar a transferência de arquivos em uma rede local, você pode utilizar diversos tipos de suporte a hardware. Mas nem sempre as empresas estão dispostas a efetuar a troca dos seus antigos hub por switch. A diferença real de um hub e um switch, além da sua velocidade de transferência, é o redirecionamento dos pacotes. Isso porque, quando você conecta um computador ao switch, ele guarda o endereço de ip e mac da placa de rede em uma tabela no próprio hardware. Com isso, quando um usuário precisa enviar um arquivo ou uma requisição para um computador, o pacote vai diretamente para o destinatário. Já no hub isso muda completamente. Ele funciona da seguinte forma:

Um pacote é enviado para um determinado usuário da rede local. Antes de começar a transferir esse arquivo, ele varre toda rede e pergunta para cada computador:
–        Você é o computador fulano?

Se o computador confirmar o usuário, a transferência é iniciada. Caso contrário, a pergunta é feita para os diversos equipamentos até encontra-lo e assim, iniciar a transferência.

Você pode efetuar o mesmo processo do switch em uma rede que ainda utiliza hub aplicando um servidores que chamada Controlador de Domínio(DC). Com ele, todos os usuários na rede são obrigados a efetuar um login pelo grupo de trabalho, e assim, quando um usuário requisitar um computador, o servidor DC se encarrega de avisar a localização do equipamento que está logado no exato momento. Além dessa função, o DC também é responsável pela administração dos usuários. Isso é ideal, pois centraliza o cadastro de todos os usuários em um único equipamento. Para criar um servidor PDC ( Primary Domain Control) no Linux, será utilizado o Samba 3.

Veja como criar um DC utilizando um servidor Linux.

PDC no Samba 3

O sistema utilizado para instalação do Samba foi o Debian , mas qualquer sistema Linux pode utilizar esse tutorial como base. Para iniciar a instalação do Samba, acesse o site www.samba.org e utilize um dos mirror disponíveis na página. Em seguida, opte pelo download da versão Samba 3 no formato gzipped(tar.gz). Já com o arquivo no computador, descompacte e instale com os comandos:

# tar -zxvpf samba-3.tar.gz
# cd samba-3/source
# ./configure
# make
# make install

Agora com o Samba instalado, é necessário modificar o arquivo de configuração do serviço. Por padrão, esse arquivo fica localizado no endereço /usr/local/samba/lib e se chama smb.conf. Por padrão, esse arquivo precisa ser criado. Para agilizar o processo de criação do arquivo, copie o exemplo que está disponível no endereço www.europanet.com.br/pcmaster/edicao85  para o diretório /usr/local/samba/lib. Ou se preferir, copie as linhas de comando de acordo com o caixa arquivo samba utilizando um simples editor de texto e em seguida salve o arquivo no diretório /usr/local/samba/lib com o nome smb.conf . Altere somente as linhas de comando:

netbios name= nome do computador
workgroup = nome do grupo de trabalho (domínio)

Após executar a modificações, inicie o serviço com o comando:

# /usr/local/samba/sbin/nmbd
# /usr/local/samba/sbin/smbd

Verifique se está funcionando corretamente executando:

# smbclient –L localhost

Algumas informações do servidor deverão aparecer. Agora é preciso aplicar os diretórios responsáveis por salva as configurações que os usuários aplicam no sistema. Para isso, execute os seguintes comandos:

# mkdir /home/profilesNT
# mkdir /home/profiles
# mkdir /home/netlogon

Com esses parâmetros, o servidor PDC já está funcionando. Ainda falta adicionar os computadores e usuários que poderão conectar no sistema. O cadastro do computador só é necessário se a sua rede possui cliente que utilizam os sistemas Windows for XP, 2000 ou 2003. Para adicionar a máquina, execute os seguintes comandos:

# groupadd computadores
# useradd –g computadores –d /dev/null –s /bin/false nome_comp$
# passwd –l nome_comp$

Altere nome_comp para o nome computador que está na rede. É recomendável que todos os computadores já estejam com o nome pré definido para o samba reconhecer normalmente. Agora é necessário aplicar as alterações no samba para reconhecer as conta como se fosse um computador. Para isso, execute:

# /usr/local/samba/bin/smbpasswd –a –m nome_comp
Note que nesse comando não foi necessário aplicar o caractere $.

Para cadastrar os usuários, no próprio script de configuração do samba existe uma linha de comando responsável por isso. Basta que o computador que você deseje migrar para o domínio esteja castrado no sistema. Caso você não consiga acessar o serviço, você pode efetuar esse registro manualmente. Execute os seguintes comandos para efetuar o registro:

# useradd –d /dev/null –s /bin/false usuario
# passwd –l usuario 
# /usr/local/samba/bin/smbpasswd –a usuario
Onde usuário é o nome do login que você deseja cadastrar no sistema.

Sempre que você for migrar um computador para o domínio, será necessário digitar o login e a senha do administrador do samba. Isso torna o sistema mais seguro e evita que usuários mal intencionados fiquem criando diversos login. Para cadastrar o administrador, execute o seguinte comando:

# /usr/local/samba/bin/smbpasswd –a root

Com isso, você já pode configurar o Windows para migrar no controlador domínio.

BOX
Arquivo Samba

[global]
workgroup = PDC
log file = /var/log/samba/log.%m
local master = Yes
domain master = Yes
domain logons = Yes
socket options = TCP_NODELAY SO_SNDBUF=8192 SO_RCVBUF=8192
encrypt passwords = Yes
add user script = /usr/sbin/useradd -d /dev/null -g machines -s /bin/false -M %u
unix password sync = Yes
update encrypted = Yes
logon drive = H:
logon path = \\%N\profilesNT\%u
logon home = \\%N\profiles\%u
preserve case = Yes
short preserve case = Yes
case sensitive = No
dns proxy = No
netbios name = SERVIDORPDC
server string = Servidor
os level = 64
security = user
max log size = 70

[netlogon]
writeable = yes
path = /home/netlogon
force create mode = 0777
create mask = 0777
comment = Network Logon Service
public = yes

profilesNT]
comment = %u
path = /home/profilesNT
read only = no
create mask = 0600
directory mask = 0700

[profiles]
path = /home/profiles
read only = no
create mask = 0600
directory mask = 0700
Esperamos ter ajudado de alguma maneira.
Equipe Mundo Open

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.